domingo, 27 de março de 2011

You need to get off Facebook

O blog Sound + Vision apresenta-nos este vídeo que propõe uma reflexão sobre a cultura subjacente ao Facebook. Realmente não temos tantos amigos assim. Então eu, um clássico bicho do mato! Mesmo no Facebook tenho poucos.



Actualmente não estou lá por causa das "amizades". Aquela rede social tem para mim a utilidade de um órgão de informação. De lá recebo notícias de bandas, de artistas, de rádios e televisões. Pondero ligar-me aos políticos que por lá andam para receber essas notícias.

Por algum tempo pensei que serviria para divulgar a minha actividade blogueira, mas isso revelou-se errado. Não tive mais visitas nos blogs por aparecerem lá as actualizações. Nem um só dos meus "amigos" tornou-se meu leitor.

No Facebook, tal como aqui ou em qualquer outro lugar na sociedade se a mensagem não for apelativa, se não houver investimento na publicidade, a mensagem não passa. Tal como nos blogs, se os textos são longos, perdem a eficácia e o interesse.

Todos vivemos a informação de uma forma descartável e imediata. Se não atingir os nossos instintos mais básicos, não interessa. Coisas para rir, um ou outro vídeo e pouco mais. E esse pouco mais é ver fotos dos contactos, com ou sem comentários.

É esta a minha percepção.

6 comentários:

Daniel Fortuna disse...

Nao vi o video, mas sair do facebook? Questiono qual a vantagem? TEnho sentido q o FB como um aproximador efectivo de pessoas. Uma ferramenta excelente.

Cumprimentos!

jota disse...

Para isso é preciso ver o vídeo (ehehehehe). Mas num registo mais sério, penso que como tudo na vida as coisas não são iguais para todas as pessoas. O protagonista do vídeo privilegia o contacto pessoal directo, a qualidade em vez da quantidade, a relação única e inimitável da uniformização dos comportamentos.

No meu caso, a maioria dos "amigos" do facebook são colegas de trabalho, alguns por acaso meus amigos reais. Como tenho a tendência para isolar-me, perdi contacto com todas as pessoas do meu passado. Não sei o nome de quase nenhum colega de escola, perdi-me deles todos. E no Facebook só encontrei um que não tenho coragem para o contactar. Porquê? Na altura não éramos lá grandes amigos e eu teimo em não ter fotografias minhas no perfil.

Tudo isto (redes sociais, blogs, fóruns) tem a capacidade de ligar as pessoas, mas tudo isto é virtual, ligações incluídas. A frustração que sinto nos relacionamentos reais, continua nestes relacionamentos.

Mas esta é a minha perspectiva.

Daniel Fortuna disse...

Parece-me possível uma isolar-se, mesmo estando "dentro" das redes sociais. A questão está na atitude. Tb preveligio, se possível o contacto "real" "ao vivo" com as pessoas. O FB é importante contudo, pois vivemos de uma maneira em que não podemos ter esse contacto com toda a nossa rede de amigos. E não custa muito a aumentar a rede de amigos e digo verdadeiros amigos, não apenas conhecidos. às vezes dá-se a sorte de isso ser fácil, outras vezes é bastante difícil, depende do contexto e da ocasião. Mas as redes vieram facilitar bastante isso, nem que seja como ponto de partida para consolidação e ampliação de pequenas redes de amigos já existentes. Já uma pessoa isolar-se... é claro que isso contraria as dinâmicas naturais de consolidação dos grupos e leva a que uma pessoa de facto fique afastada e deixe de pertencer ao mesmos... ai se não fosse o FB! Abraço!

Daniel Fortuna disse...

Já vi o video. Percebo mas não justifica de maneira nenhuma sair do FB.. O q se ganha é mt maior q os seus incovenientes. Dá para ver como brincadeira, é em tom de brincadeira sim..

jota disse...

E mais uma coisa boa, serviu para pensermos um pouco sobre as redes sociais e um mundo virtual.

Para não expôr só o argumento contra, digo que convém andar-se a par das novidades para não ficarmos para trás. Cada vez mais a ilitracia está associada ao não acompanhar a evolução da tecnologia. Se não tivermos cuidado acordamos um dia e não compreendemos minimanente o mundo onde estamos.

Daniel Fortuna disse...

Gosto bastante de pensar nesta nova realidade das redes sociais virtuais.