domingo, 8 de agosto de 2010

Nostalgia de Deus I

Nota prévia: Nestes dias de férias longe da net, deixo-vos a minha visão sobre um dos salmos que mais gosto. Os salmos 42 e 43 formam na realidade um só, pois a temática é comum e, caso único no saltério, há um refrão, um versículo que se repete duas vezes.


42 (41) NOSTALGIA DE DEUS

1Ao director do coro. Poema dos filhos de Coré.

2*Como suspira a corça pelas águas correntes,
assim a minha alma suspira por ti, ó Deus.

Na Palestina a geografia é agreste, há zonas de deserto. Imagina-se a sede da corça, talvez esteja a amamentar, é assim que o salmista se sente. Quanto mais me dou, mais sede tenho.


3*A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo!
Quando poderei contemplar a face de Deus?


Sou um deserto, busco-Te, e por mais orações, missas e livros que entrem na minha vida, sinto um vazio, uma sede infinitos. Onde estás, Senhor? Preciso de Ti. Acendeste esta sede e agora onde estás? Quero-Te a Ti. Não tardes!


4*Dia e noite as lágrimas são o meu alimento,
porque a toda a hora me perguntam:
"Onde está o teu Deus?"


Onde está Ele, perguntam-me. Esta sede é uma sombra que me acompanha. Nada posso, pois sou todo Dele. Anseio por Ele. E não me compreendem. Porquê? Porque a imagem que têm de Deus é limitada. O vêem, o que tocam, o que compreendem é o seu deus. Sofro porque afastam-se Dele. Sofro porque sentem esta sede e querem saciá-la com terra, lama e pus.


5A minha alma estremece ao recordar
quando passava em cortejo para a Casa do Senhor,
entre vozes de alegria e de louvor
da multidão em festa.


Mas Ele já me tocou, já deu a cheirar o seu perfume inigualável. É por isso que tenho sede. Saudade daqueles momentos. Tão poucos. Agora sei que pouco de mim esteve ali. Dei-me tão pouco e a sede fica maior ao compreender isso. Meu Deus, que festa faria se Te voltasse a encontrar! É por isso que à vezes vou em festa à Tua casa. Quando a sede é maior e sinto uma gota, uma pequena gota, a tocar-me nos lábios.


6Porque estás triste, minha alma, e te perturbas?
Confia em Deus: ainda o hei-de louvar.
Ele é o meu Deus e o meu salvador.


E canto com as aves. E canto com a brisa da manhã nestes dias estivais. Canto com as árvores que se fortificam e escurecem suas folhas, cheias de vida. Canto com a seiva que corre, com o calor que tudo madura e faz chegar ao zénite da sua existência. Tu és o meu Deus e Salvador. Tenho sede, mas sei que serei saciado. É esta a minha esperança e força.

1 comentário:

Kássia Kiss disse...

Caro Jota,
não procure algo exterior a si, porque Deus está dentro de si. Ao contrário do que nos ensinaram, não é egoísmo satisfazer os nossos desejos e tentar fazermo-nos felizes. Só quando se sentir saciado e em paz consigo próprio, encontrará Deus!