sábado, 18 de junho de 2011

Reviravolta

A minha vida nos últimos dias sofreu uma reviravolta tremenda. Nem tenho adjectivos para qualificar. Na passada quinta-feira o meu pai faleceu. Só hoje tive tempo e disponibilidade mental para vir aqui.

Como não bastando isso tenho a minha mãe no hospital com uma doença grave na produção das células do sangue. Ela entrou para o hospital há uma semana e meia e está aparentemente estável, mas é greve e temo que lhe irá encurtar a vida drasticamente.

O meu pai dois ou três dias depois entrou no mesmo hospital para estabilizar os diabetes e ao fim de nem sei quantos (porque custa-me pensar agora nisso) terminou o seu percurso na nossa companhia. A demência dele levava-o a ser agressivo e a agitar-se muito. Ele resistiu muito aos medicamentos para o acalmarem. Depois lá fizeram efeito e ficou prostrado. Veio uma infecção pulmonar e dizem que faleceu de embolia. A autópsia determinará.

Nunca estamos preparados para o morte de um pai ou de uma mãe. Pelo menos eu, não estava, mas estou minimamente inteiro. Tenho quem me ajude e tranquiliza-me saber que a minha mãe está também pacificada quanto a este assunto.

Que mais posso dizer? Sinto que devia fazer um elogio fúnebre, mas não me sinto em condições para escrever mais. Aqui ficam as notícias deste que vos escreve. Tento concentrar-me na tarefa que se me apresenta pela frente no momento e procura não pensar muito no médio prazo, já que o longo está envolto num escuro véu espesso.

6 comentários:

Daniel Fortuna disse...

Lamento. Desejo-lhe tudo de bom e sobretudo paz de espírito.

Um abraço

jota disse...

Obrigado Daniel.

Alma peregrina disse...

Olá, J...

Já há muito tempo que não visitava o teu blog. É uma pena ter-me deparado logo com esta notícia.

As minhas mais sinceras condolências e as minhas orações.

Abraços
Alma Peregrina

jota disse...

Obrigado.

Cristina Torrão disse...

Que mais posso dizer, amigo Jota? Lamento muito também.

Todos temos que morrer um dia e duvido que o seu pai apreciasse a vida, no estado em que estava. Reze por ele e chore o que lhe apetecer. Faz bem.

jota disse...

Obrigado, Cristina.